Ecléa Bosi e a terceira idade na USP

agosto 2, 2017

O programa Universidade Aberta à Terceira Idade da USP atende anualmente cerca de 9 mil pessoas com mais de 60 anos

Por Elcio Silva
15/03/2017 11h30

Iniciado em 1994, antecipando-se à promulgação do estatuto do idoso, o Programa Universidade Aberta à Terceira Idade (UATI) da USP oferece semestralmente milhares de vagas aos idosos em disciplinas regulares da graduação e em atividades complementares.

Após 23 anos e 46 edições realizadas pela USP, a Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP presta homenagem à  professora Ecléa Bosi, criadora e entusiasta da iniciativa, em nome de todos os alunos que foram beneficiados pela ação. A professora coordenou o programa até o final de 2016, quando decidiu passar a função ao médico Egídio Dórea, que já coordenava também o programa Envelhecimento Ativo, do Hospital Universitário da USP.

[fb_plugin video href=https://www.facebook.com/ProReitoriadeCulturaeExtensao/videos/1422056407815892/ autoplay=true show-text=false]
A homenagem foi exibida na última reunião do Conselho de Cultura e Extensão Universitária da USP, realizada  em 09 de março de 2017.
Idosos acompanham palestra na Faculdade de Medicina da USP.

Idosos acompanham palestra na Faculdade de Medicina da USP.

A UATI, realizada na capital e nos campi do interior, oferece gratuitamente ao idoso a oportunidade de cursar disciplinas regulares nos cursos de graduação da USP, e de participar de atividades complementares, que englobam cursos, palestras, excursões, práticas esportivas e didático-culturais. Os interessados não precisam ter vínculo com a universidade.

O idoso em sala de aula

Martinho da Vila procurou o curso de Relações Internacionais devido ao seu trabalho como embaixador da boa vontade na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Martinho da Vila procurou o curso de Relações Internacionais devido ao seu trabalho como embaixador da boa vontade na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Esse ano, o cantor Martinho da Vila, 79 anos, foi fotografado enquanto cursava, como aluno especial, uma disciplina do curso de Relações Internacionais em uma universidade privada do Rio de Janeiro.

Segundo reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo em 10 de março sob o título Sou um aluno especial, estudo as matérias que me interessam’, diz Martinho da Vila, 79, sobre fazer faculdade, o cantor afirma que a diferença etária com os colegas de classe não é um problema para a adaptação e entrosamento dos idosos.

Diferente da maioria dos programas voltados para a Terceira Idade em outras universidades, na USP o Programa Universidade Aberta à Terceira Idade é totalmente gratuito, a escolha das disciplinas é livre e os idosos sempre participam das mesmas turmas que os alunos regulares.

O programa é uma iniciativa da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP e é realizado pelo Núcleo de Direitos da USP.