Finalistas de Texto

Icone_texto

 

Foram selecionadas 26 obras como finalistas do Programa Nascente 2017:

 

Bárbara Côrtes Loureiro
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Ciências Sociais
Categoria: poesia
Trabalho: 1.Animal; 2. Solos Vulcânicos Férteis; 3. Punho Cerrado
Conforme pede o regulamento, envio 3 poemas avulsos. Todos propõem uma abordagem corporificada de tensões que partem da implicações sociais em seu exercício e impacto sobre o corpo e as subjetividade envolvidas. Em “Animal”, diz-se do corpo estuprável – e da histeria incutida, por isso, na perspectiva dessa posição/condição -, pela voz lírica. “Solos Vulcânicos Férteis” lança olhar à promessa do Amanhã, de uma perspectiva niilista-pessimista. “Punho Cerrado” diz do cinismo, de uma perspectiva visceralizada do corpo que fala

 

 

Arthur Moura Campos
Unidade: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Curso: Arquitetura
Categoria: poesia
Trabalho: 5into
25 poemas sobre sentidos e sentimentos

Antonio Lino Pinto Jr
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: Reportagem
Trabalho: A colônia
Texto não-ficcional, abordando a construção histórica de preconceitos que levam à segregação social, a partir dos relatos de vida de ex-pacientes da Colônia Antonio Aleixo, que durante 36 anos funcionou como um leprosário federal na periferia de Manaus, até ser desativado no final dos anos 70.

Zainne Lima Matos
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: crônica
Trabalho: A história de Maya
A história de Maya é uma crônica, escrita em homenagem à escritora norte-americana Maya Angelou, que relata um estupro infantil sofrido por uma menina negra da periferia. A proposta do trabalho é falar da recorrência com que as meninas negras sofrem diferentes formas de violência sexual e simbólica no cotidiano de sua infância, seja no Brasil ou em outros territórios africanos e afro-diaspóricos, que perpetuam estereótipos de sexualidade e violências propostos por contextos de colonização e/ou escravidão.

Rafael Schwarzwalder Birches Lopes
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: prosa- ficional- conto
Trabalho: Apêndice
Neste texto acompanhamos as reflexões de um narrador-personagem estudante de arte que sente sua vida constantemente paralisada pelos questionamentos do mundo da arte. O que ela é? Para que serve? A quem atende? Deve ser feita? e etc.

 

 

 

Calebe Cardia Piacentini
Unidade: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Curso: Economia
Categoria: poesia
Trabalho: caralho, NÃO HÁ NADA QUE UNA, porra
Minhas poesias falam sobre algumas partes do meu cotidiano. Sempre pressenti um mim um certo onirismo, mas muitas vezes volto ao cotidiano, impressionado com sua comédia. Basicamente, soma impressões curiosas a dilemas existenciais pessoais que se decorreram nos últimos dois anos.

 

 

 

Filipe Albuquerque Russo
Unidade: Instituto de Matemática e Estatística
Curso: Licenciatura em Matemática
Categoria: prosa- ficcional- romance
Trabalho: Caro Jovem Adulto
Ensaios e aforismas seduzem e confundem o leitor pela trama. No limiar entre ficção e autobiografia o autor tece uma prosa poética, onde a própria tessitura literária se deforma conforme as vivências se aglutinam em monólitos de mistério e espanto.

 

 

 

Tamara Wolff Bandeira Klink
Unidade: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Curso: Arquitetura e Urbanismo
Categoria: crônica
Trabalho: Casas de Cristal
Nesta crônica, o eu lírico parte da comparação entre uma casa e um de seus habitantes para discutir a fragilidade de identidade arquitetônica em casas decoradas “feitas para serem vistas”. O texto se estrutura na descrição de imagens de espaços e objetos, e tem tom confessional.

 

 

 

Hugo Rodrigo Guimarães
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: prosa- ficcional – romance
Trabalho: Drag por Drag
Chove no mundo inteiro sem parar há dez dias. Igor enfrenta o caos e arrasta um martelo de arremesso pela cidade para um acerto de contas com a sociedade e com ele mesmo. “Drag” significa “arrastar”, significa “atraso de vida”.

 

Amanda Massucci Batista

Clara de Freitas Figueiredo
Unidade: Escola de Comunicação e Artes
Curso: Licenciatura em Artes Cênicas/ Programa de Pós Graduação em Artes Visuais
Categoria: crônica
Trabalho: Ela e ela
Ela disse que a blusa vermelha listrada não combinava com o casaco. Era blusa livre, não combinava com nada que a cobrisse. A solução seria trocar. Não trocou, sufocou a blusa. Ela e ela, duas que poderiam ser 349. Crônicas sobre elas e o cotidiano.

 

 

 

Felipe Moreira da Silva Almeida
Unidade: Escola de Comunicação e Artes
Curso: Comunicação Social
Categoria: crônica
Trabalho: Erudito pé na bunda
Nesta crônica narrativo-confuso–humorística em formato de carta, reflexões sobre relacionamentos, religião, morte, virtualidade e psicologia são temas que vêm à tona ao se retratar uma contemporaneidade que, resultante do abraço entre “alta e baixa culturas”, não é apenas líquida.

 

 

 

Luís Henrique Lopes Nogueira
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: poesia
Trabalho: Esquina Infinda
Conjunto de poemas, estimulados pelo som e pelo mistério, que buscam abordar a transcendência universal e a força vital do amor, tensionados com o mundo individual, concreto e urbano.

 

 

 

 

Marina Malacarne de Pinho
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: prosa- ficcional-conto
Trabalho: Exposição
Conto ficcional em prosa. Versa sobre a arte que desperta em momentos pontuais e quase despercebidos do cotidiano.

 

Hildon Vital de Melo
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: pós graduação em História Social
Categoria: prosa – ficcional – romance
Trabalho: Joanna
Joanna é um romance (prosa-ficcional) dividido em duas partes e que trabalha com relatos fragmentados e limítrofes. O tema central é o feminino em suas diversas relações consigo mesmo e o mundo. Há ainda o tom performático do narrador confundindo-se por entre várias vozes, perspectivas e, inclusive, com os próprios personagens. Os capítulos são permeados apenas pelo número 1, pois é uma narrativa que não se completa, que está fraturada.

 

 

 

Jeferson Santiago de França
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: poesia
Trabalho: Manuscritos do poeta sem musa
Exercícios de poesia de uma alma torturada, humana e errada

 

 

 

 

Elder Silva Prates

Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: prosa- ficcional – conto
Trabalho: O mistério do pingente de ouro
O mais significativo do texto eu considero que seja a forma de expressão, pois o mesmo foi escrito sem a utilização da letra A.

 

Lucas Amaral de Oliveira
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Sociologia
Categoria: prosa- ficcional – conto
Trabalho: Os Lestrigones
O conto percorre as agruras de uma jovem que se acha no topo de um prédio, em meio a uma cidade devastada por um conflito civil. Enquanto se prepara para cometer um assassinato, ela é assombrada por pensamentos judicantes, expectativas e memórias.

 

 

 

 

Maitê Rosa Alegretti Rodrigues
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: poesia
Trabalho: Poemas que você não leu
Poemas que você não leu, consiste em uma seleção de poemas inéditos que dialogam com um interlocutor não presente, com um alguém que sequer tem conhecimento das palavras que lhe são dirigidas.O amor diante de sua impossibilidade caminha entre instâncias geograficamente dispares, e léxicos incompatíveis

 

Murilo Tiago Franco de Freitas
Unidade: Escola de Comunicação e Artes
Curso: Licenciatura em Artes Cênicas
Categoria: dramaturgia
Trabalho: Quizumba na rua!
Magui está com minhocas na cabeça (e em briga com seu cabelo). É no espaço sagrado da cidade e do sonho que ela vai se encontrar consigo e com seus ancestrais negros. Sonho, passado, realidade e presente juntos. Dramaturgia pensada para o público infantojuvenil. Texto em palavras e imagens que sonham a futura cena.

 

 

 

Isadora Bertoldo Teodoro
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: poesia
Trabalho: Rabiscos
Rabiscando à toa, descomprissada com vida e em especial com a literatura, eu cheguei nuns trem que acabei achando bonito – se é, justifica que eu mande. se não, vira só página solta pela vida.

 

 

 

William Lorete Silva
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: crônica
Trabalho: Reminiscência
Depois de um acidente num asilo, um dos moradores é levado a pensar sobre as questões da sua própria vida e sobre a preservação da memória. A crônica reflete as relações entre as diferentes gerações de modo implícito e como essa relação colabora com a transmissão do conhecimento e da história.

 

 

 

 

 

 

Lucas Alves Ferreira
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: poesia
Trabalho: Segunda Queda
Segunda Queda é um conjunto de poesias escritas ao longo de três anos, que tratam de temas que incluem desde os dramas pessoais até o espanto diante de convulsões sociais. O reconhecimento da identidade desviante de BIXA é um dos fios condutores da coletânea.

 

 

 

 

 

Nilton Custódio da Luz Filho
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: poesia
Trabalho: Sem título
Compilação de poemas

 

 

 

Thiago Oscar Goulart
Unidade: Faculdade de Medicina
Curso: Medicina
Categoria: crônica
Trabalho: Tânato e Macária – Até que a Morte nos Una
O texto trata de uma experiência com a morte de um jovem estudante de medicina e suas reflexões a respeito desse momento.

 

 

 

Lucas Simonette
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: crônica
Trabalho: Uma história do datilógrafo Roberto, que sendo mais higiênico conquistou a vaga na repartição, deixando a recém chegada Macabéa aflita pelo insucesso
Trata-se de uma anedota acerca do funcionalismo público, a partir dele pode-se apreender dois traços comuns ao Brasil e à Russia: a verborragia burocrática e a violência banalizada, tudo narrado na esteira da ironia.

 

 

 

Isabela dos Santos Costa Alves
Unidade: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Curso: Letras
Categoria: poesia
Trabalho: Fragmentos do eu
Um conjunto de três poesias. Um conjunto de três Eus. Fragmentos é um ser que se estende e se externa de mim, em pequenos pedaços de palavras, em versos.