Visualidade Nascente


Visualidade Nascente

“É preciso ampliar a discussão sobre os cânones de valor de imagem não só para as áreas de conhecimento discursivo e científico da Universidade de São Paulo mas também para o público em geral (…)”

Foi com essa frase, que viria a compor o primeiro catálogo do então Projeto Nascente 1, que a professora e diretora do Museu de Arte Contemporânea da USP (MAC USP), Ana Mae Barbosa, deu início à exposição de artes dos finalistas do primeiro concurso artístico da USP, o Projeto Nascente, que foi realizada entre os dias 19 e 29 de novembro de 1991, no Centro de Artes do Campus de Ribeirão Preto. A proposta de elevar a discussão sobre o fazer artístico para além do locus do conhecimento acadêmico sobre as artes e expor a produção dos estudantes da USP para fora dos muros da academia foi uma constante da iniciativa que em 2019 completa 28 anos.
De lá para cá o Nascente já revelou dezenas de artistas que hoje fazem parte e expõem nos circuitos nacionais e internacionais das artes.

Hoje, a Visualidade Nascente USP expõe os trabalhos e autores finalistas do concurso artístico da USP em Artes Visuais, Design e Audiovisual. A exposição é anual e consolida a participação dos candidatos que tiveram suas obras selecionadas pelas 3 comissões julgadoras e têm a oportunidade de expor em museus e espaços de grande importância e visibilidade.

Exposição Visualidade Nascente USP no Museu de Arte Contemporânea da USP (MAC USP) – 2017
O Centro Universitário Maria Antônia tem recebido a Visualidade Nascente USP e oferece aos estudantes a possibilidade de expor em um espaço da cidade de São Paulo de valioso significado histórico e cultural.
Visualidade Nascente USP no Centro Universitário Maria Antônia – 2018

“O Nascente me ajudou muito a pensar possibilidades de expor. Pude acompanhar a chegada a diferentes espaços expositivos, que felizmente foram espaços muito interessantes, como o Centro Maria Antônia e o MAC USP, e pude pensar como apresentar meu trabalho em cada um deles. Propiciou, além disso, encontros muito bonitos.”

Nara Isoda (Menção honrosa do 21º Nascente e finalista da 22ª edição – 2013 e 2014)