11º Feira USP e as Profissões ajuda vestibulandos a decidirem futuro profissional

Em três dias de evento, alunos e professores da USP deram informações e tiraram dúvidas sobre cursos, carreiras e profissões

Por Gustavo Drullis
Fotos: Mayara Barbosa
30/08/17 15h22 | Atualizado em 31/08/17 14h30

Aconteceu, entre os dias 24 e 26 de agosto de 2017, a 11º edição da Feira USP e as Profissões. O evento reuniu, no Parque de Ciência e Tecnologia da USP (Parque CienTec), alunos e professores da USP para darem informações e tirarem dúvidas sobre cursos, carreiras, profissões, formas de ingresso e permanência na universidade.

Como parte de programação da feira, também foram promovidas palestras, atividades interativas, bate-papos e oficinas, com o objetivo de aproximar os visitantes dos diferentes aspectos dos cursos oferecidos pela USP.

A feira, realizada anualmente pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP, é voltada a estudantes do ensino médio e cursos pré-vestibular prestes a ingressarem a universidade. O propósito do evento, que também conta com uma edição anual nos campi do interior da USP, é auxiliar os vestibulandos nas futuras decisões acadêmicas e profissionais.

Informações

Entre os estudantes que visitaram os estandes da feira, organizados no Pavilhão de Humanas e no Pavilhão de Exatas e Biológicas, a maior parte da dúvidas eram relacionadas à grade curricular dos cursos, às áreas de atuação profissional e ao mercado de trabalho. Mas não somente essas questões eram esclarecidas pelos monitores, que lidaram com dúvidas de todo tipo.

Irene Slusarz, de 17 anos, uma das 85 mil pessoas que visitaram a feira nos três dias, chegou ao evento já sabendo mais ou menos o que quer prestar no final do ano. Estudante do ensino médio, a vestibulanda pretende cursar Biotecnologia, um dos mais novos cursos da USP. “A ciência me chama atenção, principalmente a área de biológicas”, diz Slusarz, para quem a feira ajudou a confirmar sua decisão.

 

feira2

 

Assim como Slusarz, Thiago Bento, 18, que visitava a feira pela segunda vez, também já decidiu o que irá prestar – Arquitetura e Urbanismo. No entanto, ele estava em dúvida entre os dois cursos dessa carreira que a USP oferece. Um deles fica no campus da USP em São Paulo, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), e o outro no de São Carlos, no Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU). Ter visitado os estandes das duas unidades deu a Bento a certeza de que irá tentar entrar na FAU, já que a grade curricular do curso de São Paulo contempla melhor sua afinidade pela área de urbanismo, na qual pretende seguir carreira.

Interatividade

Muitos estandes tentaram dar uma amostra dos cursos por meio de atividades mais lúdicas e o apoio de materiais didáticos. Foi o caso do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP, em cujo estande Adriana Ferreia, 20, que faz Licenciatura em Ciências Exatas, foi monitora. Ela diz que a maior parte das dúvidas que tirou eram sobre quais cursos são oferecidos pelo IFSC, o mercado de trabalho na área e formas de ingresso e permanência na universidade.

Sobre os dois últimos assuntos, ingresso e permanência na universidade, a feira contou com estandes específicos. Neles, os monitores informavam sobre os programas de cotas e de bonificação na nota para estudantes de escolas públicas e para os autodeclarados pretos, pardos e indígenas; as formas de ingresso na USP – Fuvest e Enem; e o Programa de Apoio à Permanência e Formação Estudantil, que proporciona auxílios de moradia, transporte, alimentação e de aquisição de livros.

Junto ao professor Herbert João, 33, também do IFSC, Ferreira mostrou, por meio de experimentos utilizados em aulas práticas, a atuação do profissional da física na vida real. Segundo a estudante, “essa ponte da teoria com a vida real é importante para os alunos”, já que muitas vezes isso não é mostrado na escola. Não à toa, conta João, a principal pergunta que faziam no estande era “como funciona isso daqui?”, referindo-se aos experimentos.

 

feira3

 

Camila Villarroe, 23, estudante de Direito da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto da USP, participou da feira como monitora. Franca, ela diz que, nesse momento, é necessário “mandar a real”. Segundo a graduanda, muitas pessoas têm uma impressão idealizada sobre o curso, o que não é positivo na hora de decidir seu futuro profissional. A USP atualmente oferece dois cursos de Direito, um em São Paulo e outro, mais novo, no campus de Ribeirão Preto. As diferenças entre o dois cursos e as áreas de atuação da profissão estavam entre as principais dúvidas dos vestibulando, segundo Villarroe.

No estande do curso de Engenharia de Biossistemas, o estudante Alexandre Ribeiro, 22, mostrou aos futuros universitários um pouco do que faz na graduação. Junto aos seus colegas, Alexandre levou à feira módulos eletrônicos semelhantes aos que eles fazem em aula. Equipamento para medição de temperatura e umidade, um braço mecânico controlado eletronicamente e até uma aranha robótica foram alguns dos projetos que eles escolheram exibir esse ano.

Orientação vocacional

Uma das atividades mais procuradas da feira nesta edição, seguindo tendência do ano passado, foi a orientação vocacional. Em dinâmicas de 45 minutos, grupos com cerca de 20 pessoas recebiam orientação de psicólogos e graduandos do Instituto de Psicologia (IP) da USP para ajudar na escolha de que curso ou carreira irão seguir.

Daniel Vas, em seu último semestre do curso de Psicologia na USP, foi um dos monitores da atividade. Ele, membro do programa de orientação profissional do IP, conta que a conversa com os vestibulandos sobre medos, pressões, critérios, entre outros temas que os deixam incertos sobre o futuro, pode ajudar na decisão profissional futura.

 

feira4

 

O principal objetivo da atividade de orientação vocacional na feira era fazer com que os visitantes soubessem fazer perguntas mais precisas para os monitores. “A intenção não é sair com o curso escolhido, mas saber escolher a melhor opção“, afirma Vas, que normalmente conduz seis sessões de duas horas e meia de orientação no IP.

Para Lucas Leite, 16, que participou de uma das dinâmicas, a atividade o ajudou a pensar sobre quais critérios adotar para pesquisar uma carreira. Taciane, estudante do mesmo colégio que Lucas, também de 16 anos, diz que a dinâmica a fez formular questões sobre seu futuro. “O que eu quero fazer? Onde eu quero trabalhar?”, questiona a estudante, que está certa sobre fazer um curso na área de humanas.

Além de realizar as feiras na capital e no interior anualmente, a USP promove visitas monitoradas a diversas unidades de ensino e pesquisa de seus campi. Ainda estão abertas as inscrições para visitas ao Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas, à Faculdade de Direito e ao Parque CienTec, em setembro. Elas podem ser feitas através do link http://e.usp.br/9n0.

Por Comunicação Institucional - PRCEU

11º Feira USP e as Profissões ajuda vestibulandos a decidirem futuro profissional