Leitura pública e ensaios abertos sobre o lugar do feminino acontecem no Teatro da USP

A partir de seu jogo teatral, o espetáculo propõe uma reflexão sobre o gênero, o corpo, o tempo, a memória e sobre o papel do espectador

Em agosto, o Coletivo de Areia faz diferentes apresentações de Experimento com Bola de Demolição sobre Objetos de Uso Diário no Teatro da USP (TUSP). No dia 12, às 19h, o grupo faz uma leitura pública da peça. Já nos dias 26 e 27, o coletivo realiza dois ensaios abertos dela no TUSP, às 19h e 17h, respectivamente. Todas as apresentações são gratuitas.

O espetáculo é resultado de um projeto desenvolvido de forma colaborativa com profissionais de diversas áreas residentes de São Carlos, São Paulo, Bauru e Berlim. A criação teatral nasceu do campo híbrido das artes performativas, visuais e literatura, num vivo encontro entre imagem, palavra, som e presença no espaço. Ela tem como pano de fundo as relações afetivas forjadas na fronteira entre o que é ficção e realidade, buscando uma compreensão estética do lugar do feminino na sociedade atual.

Colocar um texto em cena ativa uma série de leituras, e faz parte do histórico do Coletivo de Areia promover o diálogo entre a cena e as interpretações do espectador através da leitura pública. Neste encontro literário-teatral, a leitura é rompida, atravessada e ampliada por inserção de vozes femininas exteriores à cena.

O Coletivo de Areia, criado em 2004, tem em sua formação atual a atriz Cláudia Alves Fabiano, orientadora de Arte Dramática do TUSP em São Carlos, e o escritor Antonio Salvador, vencedor da 17ª edição do Programa Nascente. O campo de investigação artística do grupo caminha pelo teatro e literatura, potencializando a palavra como epicentro de implosão iconoclasta.

Para mais informações, é possível entrar em contato com o Teatro da USP pelo telefone (11) 3123-5222 e pelo e-mail tuspmkt@usp.br.

Sinopse

Em meio a destroços de experiências pessoais, restos do passado, pedaços do presente, uma mulher esmiúça a própria existência: quanto sobra de uma pessoa quando só os objetos sobrevivem? Em busca de uma compreensão estética do lugar do feminino na sociedade atual e dos espaços demolidos da mulher (internos e externos), a peça mergulha nos limites entre ficção e realidade. A questão não é saber se o que está no palco foi real, mas sim em que medida pode ser real no momento da encenação.

Serviço

Experimento com Bola de Demolição sobre Objetos de Uso Diário no TUSP
Onde | R. Maria Antônia, 294 – Vila Buarque, São Paulo – SP

Leitura pública
Quando | 12 de agosto (sábado), às 19h
Quanto  | gratuito
Duração | 1h30

Ensaio aberto
Quando | 26 e 27 de agosto — sábado, 19h, e domingo, 17h
Quanto | gratuito
Duração | 1h30

Por Teatro da Universidade de São Paulo

Experimento com Bola de Demolição sobre Objetos de Uso Diário