Dança, teatro e música se entrecruzam no palco do TUSP

Em maio, o Teatro da USP recebe dois espetáculos criados por Andréia Nhur, atriz, bailarina, pesquisadora e professora do Departamento de Artes Cênicas da ECA-USP, mesclando dança, teatro e música. De 12 a 21 de maio será apresentado o espetáculo de dança Peças Fáceis e de 26 de maio a 04 de junho entra em cartaz Mulher Sem Fim. As sessões ocorrem sempre às sextas e sábados, 21h, e aos domingos, 18h. Os ingressos custam R$ 10.

Além das apresentações, a artista Janice Ferreira, que compõe o elenco de Peças Fáceis, conversará com o público no dia 18 de maio, 19h. A entrada para o bate-papo é gratuita. No dia 01 de junho Andréia Nhur realizara o workshop gratuito Corpo, som e silêncio: dança para ouvir. As inscrições devem ser realizadas até 25 de maio mediante envio de carta de interesse e breve currículo para os e-mails paolabertolt@yahoo.com.br e deianhur@yahoo.com.

Sinopses

Em PEÇAS FÁCEIS, espetáculo de dança inédito do Grupo Pró-Posição, Janice Vieira e Andréia Nhur – mãe e filha – recriam no palco peças musicais de Bach em uma ciranda de memórias familiares e culturais para se ouvir e dançar. Denominado “plataforma sonorocoreográfica” pelas artistas, PEÇAS FÁCEIS traz os minuetos de Bach e Petzold em violão e pandeiro por Andreia e com castanholas e acordeom por Janice, em momentos solos e conjuntos. Muito utilizadas no aprendizado de instrumentos, essas músicas de contraponto foram material de estudos de Janice Vieira em sua formação como acordeonista, e também guiaram Andréia em suas experiências com violão erudito na infância. Assim, ao mesmo tempo apresenta-se na cena uma trajetória afetiva – que é assinatura dos trabalhos das artistas – e uma discussão sobre a linguagem barroca, de significativo impacto cultural em todo o mundo.

Mulher sem Fim é a experiência solo de Andréia Nhur e da Katharsis Teatro. A artista traz à cena um atravessamento de teatro, dança e música, em uma estrutura dramatúrgica em abismo. A ideia de “dramaturgia em abismo” inspira-se na noção de cunhada em 1893 por André Gide, e faz referência a uma estrutura composta por outras estruturas de mesma natureza, em espelhamento infinito. Neste trabalho, o gênero-mulher inscreve-se num corpo constantemente interpelado por ecos de mulheres sopradas por memórias da cultura.

Serviço

Peças Fáceis – Plataforma Sonorocoreográfica
12 a 21.05.17: Apresentações às sextas e sábados, 21h, e aos domingos, 18h | R$10 (inteira) e R$5 (meia)
18.05, quinta, 19h: Conversa com Janice Vieira | Gratuito
01.06, quinta, 19h: Workshop “Corpo, som e silêncio: dança para ouvir”, com Andréia Nhur | Gratuito
Inscrições para o workshop até 25.05, com envio de carta de interesse e currículo de no máximo 10 linhas, para os emails paolabertolt@yahoo.com.br e deianhur@yahoo.com.

Mulher sem Fim
26.05 a 04.06.17 | Sextas e sábados, 21h; domingos, 18h | R$10 (inteira) e R$5 (meia)

Por Teatro da Universidade de São Paulo

Peças Fáceis + Mulher Sem Fim
  • Teatro da USP
    • Sexta, Sábado e Domingo
    • A partir das 19:00.