Macunaíma é tema de exposição que destaca a imagem e a palavra

A mostra gratuita reúne 39 artistas plásticos, entre novos e consolidados, que traduzem para as telas e outras técnicas a obra Macunaíma, de Mário de Andrade

Por Elcio Silva | Imagem – Xilogravuras de Angela Leite
24/04/2018 14h35

Traduzir a obra do escritor Mário de Andrade para as artes plásticas foi a motivação principal da exposição Macunaíma, que será realizada na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, a partir de 3 de agosto, com a co-organização da artista plástica Altina Felício. A mostra reúne várias técnicas e segue até 4 de setembro.

Com desenhos, aquarelas, pinturas, fotografias, gravuras, instalações e uma pequena escultura a exposição pretende trazer em outra linguagem um pouco da complexidade que o autor modernista criou em sua obra.

“O projeto surgiu  da vontade de escolher um escritor e convidar artistas visuais para traduzir a sua linguagem. Escolhi Macunaíma, de Mário de Andrade, leitura breve e instigante, por ser muito provocativa ao artista visual. Inicialmente seriam 15 artistas, mas o projeto cresceu e convidei mais, pois com tantas técnicas a exposição fica mais próxima do que Mário de Andrade escreveu: inúmeros mitos, lendas, Macunaíma na Amazônia e de repente no Sul do Brasil”, relata Altina.

Macunaíma

Gravura em ponta seca e aquarela de Altina Felício.

A exposição Macunaíma traz para a contemporaneidade um pouco do herói ou anti-herói brasileiro.

“É interessante notar a sutileza como ele cria Macunaíma, na figura do cidadão brasileiro, se colocando como herói ou anti-herói diante da nossa realidade e das responsabilidades de  nossas escolhas. É um livro pequeno, uma rapsódia, que ao mesmo tempo é tão grande pela complexidade e em nossa exposição, com tantos participantes e técnicas, conseguir ser ao mesmo tempo tão objetiva”, destaca a co-organizadora.

Com mais de trinta anos de carreira Altina Felício não faz distinção entre artistas novos e consolidados no meio quando faz os seus convites para as exposições. Segundo ela é exatamente essa alternância que traz uma motivação especial.

“Organizo exposições desde 2011 e a minha intenção sempre foi abrir espaço para quem nunca expôs e para as estrelas, artistas com carreira consolidada, pois vemos a humildade destes expondo o trabalho com quem está começando”, valoriza.

Responsável pela criação do projeto, a artista não se considera curadora da exposição já que, segundo ela, não há uma seleção de obras, mas sim uma provocação ao artista sem uma indicação do que vai ser exposto.

Show

A exposição trará em sua abertura um show do conjunto musical Mosaico, composto por pacientes psiquiátricos do Centro de Convivência e Cooperativa Eduardo Leite – CECCO Bacuri – unidade municipal de saúde que visa a promoção, a prevenção, a manutenção e a recuperação da saúde global das pessoas, de crianças até idosos -, local onde Altina ministra aulas de desenho. A direção do musical é do psiquiatra e músico Hélio Cherubini e da coordenadora Mara Quintanilha.

Confira o convite da artista Altina Felício

Serviço

Exposição Macunaíma

Abertura | 3 de agosto de 2018, 14h, com apresentação do conjunto musical Mosaico.
Visitação | De 6 de agosto a 04 de setembro – das 9h às 18h (segunda a sexta-feira)
Onde| Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) – Sala BNDES – entrada pela editora EDUSP
Rua da Biblioteca, S/N, Cidade Universitária, Butantã, São Paulo – SP.
Quanto | Gratuito

Agendamento de Monitoria | educativo@bbm.usp.br

 

Por Comunicação Institucional - PRCEU

Exposição Macunaíma
  • Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin
    • de Segunda a Sexta
    • Das 09:00 às 18:00
    • Rua da Biblioteca s/n, Cidade Universitária
    • São Paulo - SP
    • obs: Abertura em 03 de agosto, 14h