Cidade de São Paulo e Bixiga são homenageados com show gratuito

Por Ana Célia de Moura
27/11/2018 12h43

O Centro de Preservação Cultural (CPC) da USP homenageia o Bixiga e a cidade de São Paulo na última apresentação do ano do projeto Domingo na Yayá. A apresentação é uma parceria com o Coral da USP (CoralUSP), que neste domingo, 2 de dezembro, às 11 horas, traz o grupo Dona Yayá com um repertório de sambas de compositores de São Paulo. Além da apresentação musical o público também poderá visitar a exposição Sesmaria de Passarinhos, que destaca o patrimônio cultural da Zona Leste.

O coral Dona Yayá desenvolve o projeto “A Música do Bixiga e de São Paulo” com a proposta de investigar o ambiente sonoro da região do Bixiga e seu entorno através de arranjos originais para coro.

Segundo Mauro Aulicino, regente do grupo, “o Bixiga [como é conhecido o bairro da Bela Vista] integrou com outros bairros de São Paulo, como a Sé, Liberdade, Glicério, Barra Funda e Casa Verde, uma “rede de vivência muito rica de criação cultural popular na cidade, e é essa manifestação que o repertório do grupo pretende recriar”.

Para esta  apresentação o programa inclui interpretar sambas de grandes nomes da MPB, como Geraldo Filme, Paulo Vanzolini e  Adoniran Barbosa, e canções de compositores atuais, como Kiko Dinucci e Celso Viáfora.

O Coral e o CPC

Com mais de 50 anos, o CoralUSP faz parte da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão (PRCEU) da USP. Composto por 15 grupos com diferentes propostas artísticas, promove, além dos ensaios e apresentações, um programa didático organizado pelas equipes das áreas de técnica vocal e estruturação musical.

O Coralusp possui ainda um acervo variado de obras corais, composto principalmente por arranjos de música popular brasileira, dentre eles obras elaboradas por Damiano Cozzella. O material está disponível para consulta.

O CPC é um órgão da PRCEU que tem a missão de promover ações e reflexões sobre a preservação do patrimônio cultural da Universidade, incluindo seus monumentos, acervos e memórias. Sediado no bairro da Bela Vista, na Casa de Dona Yayá, busca ainda estreitar os vínculos entre a universidade e a sociedade por meio de pesquisas, oficinas, cursos, palestras, simpósios, exposições, visitas monitoradas e apresentações artísticas.

PROGRAMAÇÃO: 02 de dezembro de 2018

Exposição: Sesmaria de Passarinhos

De segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas. Dia 2 de dezembro, das 10 às 13 horas. Grátis

A exposição traz um recorte do trabalho desenvolvido pelo Grupo Ururay, coletivo formado por jovens pesquisadores e ativistas da zona leste de São Paulo focado na identificação, preservação e valorização dos bens culturais da região.

A mostra apresenta um levantamento fotográfico dos bens tombados, ou em processo de tombamento. Embora seja historicamente preterida na formulação e implantação de projetos e políticas públicas, em relação às áreas centrais da cidade, a zona leste da capital abriga os mais variados grupos sociais, vindos de diversos locais do Brasil e do mundo.

Sesmaria de Passarinhos é uma parceria do CPC com o Grupo Ururay. É uma ação de cultura e extensão universitária que tem o intuito de dialogar com a sociedade e articular diferentes saberes, perspectivas e iniciativas sobre o patrimônio cultural.

Visitação: Casa de Dona Yayá

De segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas. Dia 2 de dezembro, das 10 às 13 horas. Grátis

Situado na Bela Vista, o edifício conhecido como Casa de Dona Yayá constitui um documento material da transformação da cidade de São Paulo em metrópole. Um dos últimos remanescentes do antigo cinturão de chácaras que circundava a região central da cidade, assumiu importância histórica ainda maior ao ser convertido em local de clausura de sua proprietária mais ilustre, Sebastiana de Mello Freire, Dona Yayá. Considerada mentalmente incapaz, ela viveu reclusa entre 1919 e 1961.

O patrimônio foi transferido à USP em 1969 e passou por um cuidadoso trabalho de recuperação e restauro. Com base nessa rica história material e imaterial, foi tombado pelo Estado de São Paulo em 1998, e pelo Município em 2002.  O CPC promove a valorização do imóvel através de sua abertura ao público, incentivando reflexões a respeito de sua arquitetura, da história do bairro e da personagem Dona Yayá.

Imagens:  Acervo CPC/Divulgação

CPC-USP/Casa de Dona Yayá

Rua Major Diogo, 353 – Bela Vista – São Paulo – SP


Edição Elcio Silva

Por Centro de Preservação Cultural

Domingo na Yayá
  • CPC-USP/Casa de Dona Yayá
    • Domingo
    • Das 11:00 às 12:00