A voz e a palavra como resistência em peça musical no Teatro da USP

Peça no TUSP expõe a voz e a palavra como resistência a toda forma de controle e violência, em um tempo estilhaçado pelo capital.

A companhia Ausgang de Teatro estreia no TUSP a peça sinfônica Roda das Vozes em Estado de Sítio. A obra pretende refletir sobre a mecanização da língua na sociedade de hoje, numa crítica à produção em massa de uma língua que, sem um outro a quem se dirija, sem qualquer densidade ou mistério, torna-se meramente comunicativa, voltada à eficácia e à transparência.

Um itinerário de canções de Itamar Assumpção, entremeadas com suas falas, e o jogo entre o samba de breque e as canções de Brecht com Hanns Eisler (Canção da Oferta e da Procura) e Kurt Weill (Tubarão Paulistano) interpenetram esta Roda das Vozes em Estado de Sítio.

Ela acontece pela dualidade da palavra “chama”: a ação de chamar, espaço aberto na memória, e o substantivo que remete à queima, transformação em fumaça, substância impalpável e invisível. Os sambas aparecem pelo chamar e desaparecem na chama, no movimento de retorno ao tecido da memória pessoal que se faz coletiva.

Elenco: Maria Simões, Carolina Martins, Beto Siqueira, Luan Braga, Macalé, Pedro Teixeira, Renan Abreu e Zebba Dal Farra

Roda das Vozes em Estado de Sítio – Temporada de Inverno da Ausgang de Teatro | 23 de junho a 9 de julho | 90 min. | livre

Quintas, sextas e sábados, 21h; domingos, 19h. Sessão especial (IFTR): segunda, 10 de julho, 21h

Ingressos à venda duas horas antes das apresentações, na bilheteria do TUSP.

Por Teatro da Universidade de São Paulo

Roda das Vozes em Estado de Sítio
  • TUSP
    • Quinta, Sexta e Sábado
    • A partir das 21:00.
    • Domingo
    • A partir das 19:00.