Arte moderna é discutida em curso no Maria Antonia da USP

Objetivo é relacionar as produções artísticas da Europa com seus respectivos contextos sociais

 

Por Sandra Lima | Imagem – O Espelho Falso, de René Magritte, 1929
18/10/2018 – 10h00

 

As principais vertentes artísticas relacionadas ao modernismo europeu serão discutidas no curso Arte Moderna: Tradição e Ruptura que será ministrado durante o mês de novembro no Centro Universitário Maria Antonia (Ceuma) da USP.

Os encontros semanais, sob responsabilidade do pesquisador Marcos Fabris, são voltados ao público em geral. Não é necessário ter conhecimento prévio sobre história da arte.

Serão abordados quatro momentos da produção artística da escola modernista europeia: o cubismo de Pablo Picasso; o pós-cubismo; a abstração e o surrealismo.

Les Demoiselles d’Avignon, Pablo Picasso, 1907

Segundo o pesquisador, o participante poderá estabelecer relações entre as produções artísticas e experiência social “por meio de práticas e aparatos reflexivos”.

As aulas serão sempre às quintas-feiras do mês de novembro, das 14 às 16 horas. O curso tem custo de R$ 200. Estudantes e professores têm 20% de desconto. Idosos (acima de 60 anos) pagam R$ 120.

Alunos com mínimo de 85% de frequência no curso receberão certificado de participação.

Inscrições e mais informações e-mail cursosma@usp.br. ou pelo telefone (11) 3123-5213.

Programação

1º de novembro: As variações do cubismo

Noções essenciais deste movimento artístico e reflexão sobre o papel que seu maior expoente, Pablo Picasso (1881 – 1973), desempenhou como artista de vanguarda, avaliando o ajuste de contas que fez com a tradição precedente.

8 de novembro: O retorno à ordem: caos e classicismo no Picasso “pós-cubista”

Os “excessos das vanguardas” (Cubismo e Futurismo) e sua “ordem anárquica” são substituídos na arte do entreguerras pelo que Jean Cocteau descreveu como “disciplina de liberdade”. Olhar para a produção artística do período, confrontando-a com a obra do Picasso “pós-cubista”.

22 de novembro: A abstração absoluta e a radicalização da visão

Os significados correntes do termo “abstração” e suas consequências para o estudo do período. Estudo das produções de Kazimir Malevitch (1879 – 1935) e Piet Mondrian (1872 – 1944), exemplares da dissolução da figuração naturalista e do pensamento que a acompanha.

29 de novembro: O surrealismo e a vertigem dos códigos estéticos

Discussão da “ideia-conceito” fundamental para a produção artística do século XX: a composição múltipla do olho humano como instrumento de cognição artística, social e histórica a partir da produção surrealista do pintor belga René Magritte (1898 – 1967).

 

Sobre o professor

Marcos Fabris é doutor pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, com pós-doutorado na Universidade Columbia (Nova York), Université Paris Ouest Nanterre (Paris), MAC-USP, FFLCH-USP (São Paulo) e Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). É autor dos livros Correspondências: pintura, fotografia e o retrato da modernidade e Trabalho da encenação – ensaios sobre fotografia norte-americana.

 

Serviço

Arte Moderna: Tradição e Ruptura

Onde Centro Universitário Maria Antonia (Rua Maria Antonia, 294 – Vila Buarque – São Paulo, SP)

Quando | De 1º a 29 de novembro, quintas-feiras, das 14 às 16 horas

Quanto | R$ 200,00  desconto de 20% para estudantes e professores e de 40% para idosos)

Informações e inscrições | (11) 3123-5213 ou cursosma@usp.br

Por Centro Universitário Maria Antonia

Arte Moderna: Tradição e Ruptura
  • 1/nov/2018 até 29/nov/2018
  • Preço: R$200,00
  • Classificação: Livre
  • cursosma@usp.br
  • Centro Universitário Maria Antonia
    • Quinta
    • Das 14:00 às 16:00
    • Rua Maria Antonia, 294 – Vila Buarque – São Paulo, SP
    • São Paulo - SP
    • tel: (11) 3123-5202