Casa de Dona Yayá é atração da Jornada do Patrimônio 2019

Além de conhecar a Casa, nos dias 17 e 18 de agosto o público poderá assistir a apresentações musicais, participar de uma oficina de itinerário urbano e visitar uma exposição sobre os museus e acervos da USP. A entrada é gratuita.

O Centro de Preservação Cultural da USP abrirá a Casa de Dona Yayá nos próximos dias 17 e 18 de agosto, das 9h às 17h, para participar de mais uma edição da Jornada do Patrimônio, que tem como tema “Memória Paulistana”. O CPC-USP, como órgão da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo que tem como papel promover ações e reflexões sobre a preservação do patrimônio cultural da Universidade, apoia e participa do evento incentivando reflexões a respeito da arquitetura do imóvel, da história do bairro e da personagem Dona Yayá.

Memória paulistana

Organizada pelo Departamento do Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, o objetivo da Jornada do Patrimônio é estimular a população a reconhecer os patrimônios históricos e culturais paulistanos, que tratam da memória e identidade dos diferentes grupos sociais presentes na cidade. O evento visa, ainda, a compartilhar e fortalecer iniciativas de valorização do patrimônio cultural paulistano que procuram trabalhar os distintos territórios, evidenciando as particularidades históricas e aspectos contemporâneos de todas as regiões da cidade. A Jornada do Patrimônio acontece em São Paulo desde 2015, hoje intrgrada ao calendário de eventos da cidade. Segundo informações da Secretaria Municipal de Cultura, esta será a maior edição realizada, com mais de mil atividades em cerca de 500 pontos. A programação oficial conta com mais de 400 roteiros históricos, 300 visitas a imóveis tombados, 210 oficinas e 50 sessões de cinema do Circuito Spcine, com documentários realizados com investimento da Secretaria da Cultura para o programa “História dos Bairros de São Paulo”.

A Casa de Dona Yayá

Inscrita  na categoria “Imóveis históricos”, a Casa está situada no bairro da Bela Vista, e é sede do CPC-USP desde 2004. O imóvel, conhecido como Casa de Dona Yayá, é um dos últimos remanescentes do antigo cinturão de chácaras que circundava a região central da cidade, e hoje constitui um documento material da transformação da cidade de São Paulo em metrópole. Mas assumiu importância histórica ainda maior por ter sido local de clausura de sua proprietária mais famosa, Sebastiana de Mello Freire. Dona Yayá, como era chamada, pertencia a uma das famílias abastadas que constituíam a burguesia paulistana no final dos anos 1800.  Tendo perdido ainda garota as irmãs mais novas e o pais, e mais tarde o único irmão, Dona Yayá tornou-se herdeira de considerável fortuna e vivia em companhia de parentes afastados e agregados. Aos 30 anos começou a manifestar indicativos de desequilíbrio mental, e foi judicialmente interdidata. Passou um período internada e depois, sob acompanhamento médico, passou a morar nesta casa, tranformada em um sanatório particular, de 1919 a 1961, quando faleceu. Como Dona Yayá não tinha herdeiros legais, o imóvel foi transferido à Universidade de São Paulo em 1969, como herança vacante, e passou por um cuidadoso trabalho de recuperação e restauro. Com base nessa rica história material e imaterial, a Casa foi tombada pelo Estado de São Paulo, em 1998, e pelo Município, em 2002. Atualmente o CPC  recebe o público na Casa de Dona Yayá para atividades variadas e relacionadas com a temática do patrimônio cultural, como oficinas, cursos, palestras, eventos acadêmicos, exposições, visitas monitoradas e apresentações artísticas. Essa atuação contribui para estreitar o relacionamento entre a universidade e a sociedade por meio da difusão do conhecimento e da extensão universitária.

Programação CPC-USP

Visitação: Casa de Dona Yayá

17 e 18/08, das 9h às 17h – visitas mediadas às 12h

A Casa de Dona Yayá, tombada como patrimônio his­tórico de São Paulo, guarda a memória de sua ilustre moradora, Sebastiana de Mello Freire, e do bairro da Bela Vista. Visitas mediadas às 12h. Mediação: Maria Del Carmen Hermida Martinez Ruiz (educadora).

Exposição: Museus e Acervos da USP

17 e 18/08, das 9h às 17h

A mostra apresenta, por meio de painéis fotográficos, os acervos e coleções dos museus, centros de memó­ria e documentação, centros de divulgação cultural e científica da Universidade de São Paulo. Realização: CPC/PRCEUReitoria da Universidade de São Paulo

Música: CoralUSP Dona Yayá

A música do Bixiga e de São Paulo

17/08, às 15h

O coral apresenta “A música do Bixiga e de São Paulo”.sob a coordenação de Mauro Aulicino, O repertório vai de Adoniran Barbosa a compositores atuais, como Kiko Dinucci e Bruno Brasil. Regência e coordenação de Mauro Aulicino.

Música: Grupo Ô de Casa

Sarau caipira

18/08, às 11h

O grupo, dedicado à pesquisa e divulgação da cultu­ra tradicional brasileira, interpreta canções, textos e poemas que representam a cultura caipira.

Oficina: Caminhar, experimentar, compartilhar – contruindo o patrimônio andando pela cidade
18/8, das 14h às 17h

A oficina pretende explorar uma das mais potentes ferramentas de percepção e exploração das referências culturais urbanas: o mero ato de caminhar, propondo a descoberta da cidade numa experiência subjetiva e compartilhada. Mediação: Gabriel Fernandes.

Por Centro de Preservação Cultural

Programação CPC-USP Jornada do Patrimônio