Evento apresenta curiosidades sobre o comportamento dos macacos e como eles podem ser aliados no combate à febre amarela

03/10/2018 – Texto Michel Sitnik / Foto Renato Augusto Martins

Voltado para para o público leigo de todas as idades, encontro traz especialista em comportamento animal para dialogar sobre o tema no Parque CienTec da USP, local de grande concentração de bugios

O Parque CienTec da USP recebe no sábado, 27 de outubro, às 15 horas o encontro gratuito Primatas brasileiros e o papel de sentinelas da febre amarela. O evento faz parte do projeto Tardes Científicas, que leva especialistas em diversos temas da ciência para conversar com o público. Não é necessário efetuar inscrição.

Nesta edição as pessoas terão a oportunidade de conhecer melhor os macacos neotropicais, como bugios, saguis e macacos-prego. Serão apresentadas curiosidades sobre quais são os primatas brasileiros e como eles se comportam na alimentação, locomoção, vida social e aprendizagem. A conversa também aborda a convivência saudável entre eles e os humanos e como podem ajudar no combate à febre amarela.

Ilustrada por fotos e vídeos, a conversa será coordenada pela bióloga Briseida Dogo de Resende, especialista em comportamento animal e pesquisadora do Instituto de Psicologia (IP) da USP, que vê na população em geral um desconhecimento sobre os primatas locais: “Quando assistimos filmes e desenhos, encontramos muita informação sobre os primatas de outros países e não nos damos conta de que são diferentes dos nossos, e assim pouco conhecemos sobre a rica diversidade que temos por aqui. Por isso, o encontro foi pensado para pessoas que tiveram pouco contato com informações sobre esses animais, e não para um público especializado”.

Em relação à febre amarela, a pesquisadora ressalta a importância da informação: “Vamos trazer informações curiosas sobre os macacos e também prestar um serviço ao demonstrar que os macacos não transmitem febre amarela aos humanos e nem foram responsáveis pela rápida propagação da doença”.

Para Briseida os animais nos alertam. “Algumas espécies, como os bugios, são extremamente sensíveis à doença, de modo que sua morte acaba servindo como um sinal de que há mosquitos que carregam o vírus circulando pela região”.

Parque CienTec da USP

Área de reserva ecológica da USP, o Parque de Ciência e Tecnologia (Parque CienTec) é um espaço que convida o visitante a descobrir como a ciência e a tecnologia estão presentes na vida cotidiana por meio de exposições interativas e eventos em campos como matemática, física, biologia, astronomia, meteorologia, educação e ecologia.

Inserido no Parque Estadual Fontes do Ipiranga, tem como uma das suas marcas mais características a presença maciça dos macacos bugios. A visitação é gratuita e pode ser feita de segunda a sábado, das 9h às 17h.

Serviço:

Primatas brasileiros e o papel de sentinelas da febre amarela

Quando | 27 de outubro, sábado.
Onde | Parque CienTec (Av. Miguel Estéfano, 4200, Água Funda – Em frente ao Zoológico)
Quanto | grátis
Mais informações | parquecientec@usp.br / (11) 5077 6304

 

Por Comunicação Institucional - PRCEU

Primatas brasileiros e o papel de sentinelas da febre amarela