Exposição interativa gratuita da USP revisita livros infantis do final do século XIX e início do XX

Clássicos da literatura infantil como Viagens de Gulliver, Robinson Crusoé e livros de Júlio Verne e Monteiro Lobato estão entre as obras apresentadas ao público na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM)

Por Elcio Silva
02/10/2017, às 18h

Obras raras da Livraria Garnier, Laemmert, Francisco Alves e Melhoramentos, além de títulos clássicos da literatura infantil, integram a Exposição Livros Infantis Velhos e Esquecidos, com curadoria das professoras da USP, Patrícia Tavares Raffaini e Gabriela Pellegrino e realizada gratuitamente pela Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) a partir de 3 de outubro, às 17h.

A exposição interativa, que será aberta para visitação de 4 a 30 de outubro, das 8h30 às 18h30 (segunda a sexta-feira), traz algumas obras digitalizadas para consulta em tablets e também painéis explicativos que destacam a importância da história da edição desses livros e da leitura no Brasil no final do século XIX e início do século XX.

Livros Infantis Velhos e Esquecidos traz um recorte desse período a partir do espaço conquistado pelo público infantil em meio ao movimento de expansão das editoras europeias no país. Antologias de contos de fadas, obras literárias adultas adaptadas para crianças, livros escritos e ilustrados com o intuito de encantar a jovem audiência, além da trajetória das primeiras editoras brasileiras, principalmente no Rio de Janeiro e São Paulo, fazem parte deste panorama delimitado pelas curadoras.

Juca e Chico, João Felpudo, Robinson Crusoé, Viagens de Gulliver, Aventuras do Barão de Munchhausen, livros de Júlio Verne e de Monteiro Lobato, revistas como Tico-Tico e coleções como o Thesouro da Juventude são alguns exemplos do acervo exposto.

Para a curadora Pellegrino, a exposição destaca a riqueza dos livros. “A exposição chama a atenção para a riqueza inesgotável desse objeto chamado livro. Antigamente, para as crianças, não havia outro meio que cumprisse esse papel, a não ser a narrativa oral, depois o cinema, o rádio. O livro tinha um papel central”, explica.

O projeto surgiu a partir de duas pesquisas realizadas pelas curadoras. Entre 2013 e 2016, Raffaini pesquisou, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), a Leitura Ficcional na Infância, 1880-1920 e adquiriu obras raras que foram doadas a USP com recursos da agência de fomento.

Já Pellegrino, iniciou em 2016 pesquisa sobre a circulação da coleção Tesouro da Juventude nas Américas, a partir dos anos 1920, financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com previsão de término em 2018.

Pensada como forma de resgate daqueles livros que marcaram época e hoje são pouco conhecidos, a exposição é voltada para adultos e crianças, especialmente para estudantes do ensino fundamental I, entre o 3º e 5º ano, mas não há restrições de idade. Para os visitantes que desejarem uma visita guiada para grupos a Biblioteca Brasiliana possibilita o agendamento de monitoria pelo e-mail: educativo@bbm.usp.br.

Serviço

Exposição Livros Infantis Velhos e Esquecidos
Abertura | 3 de outubro – 17h – com a presença das curadoras Patrícia Raffaini e Gabriela Pellegrino
Visitação | De 7 a 30 de outubro – das 8h30 às 18h30 (segunda a sexta-feira)
Onde | Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) – Sala Multiuso
Rua da Biblioteca, S/N, Cidade Universitária, Butantã, São Paulo – SP.
Agendamento de Monitoria | educativo@bbm.usp.br

Fotos: Elcio Silva | Arte: Júlio Okabayashi

Por Comunicação Institucional - PRCEU

Exposição Livros Infantis Velhos e Esquecidos
  • Biblioteca Brasiliana José e Guita Mindlin
    • de Segunda a Sexta
    • Das 08:30 às 18:30
    • Rua da Biblioteca, S/N
    • São Paulo - SP
    • tel: (11) 2648-0310