• A+
  • A-
Fechar
Arte urbana é a protagonista de exposição no MariAntonia

Arte urbana é a protagonista de exposição no MariAntonia

Comunicação - PRCEU - 05/09/2023

Por Sandra Lima
5/9/2023 – 13h05 

O Centro MariAntonia da USP inaugura, no dia 21 de setembro, às 16 horas, a exposição São Mateus move o centro, mostra conjunta dos coletivos São Mateus em Movimento e Centro de Pesquisa e Documentação Histórica Guaianás (CPDOC Guaianás), contando com graffitis, fotografias e programação paralela com oficinas e apresentações literárias e musicais. A visitação acontece de terça a domingo, e feriados, das 10 às 18 horas, com entrada gratuita.

Vinculada às comemorações dos 30 anos de inauguração do Centro MariAntonia, a exposição apresenta dois coletivos periféricos de cultura no território das cidades e sua importância nessa cena cultural como pólo de tensionamento e renovação. Ana Castro, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP e vice-diretora do centro cultural, ressalta que o objetivo é “colher os saberes e os fazeres das periferias, reconhecendo nos sujeitos e sujeitas periféricos agentes de transformação da cidade, afastando com isso a periferia dos fenômenos estigmatizantes da pobreza e de violência”.

São Mateus move o centro traz a arte urbana para dentro do centro cultural no centro da cidade de São Paulo, com os graffitis dos artistas Randal Bone e oCris, elaborados especialmente para a exposição. Além dos graffitis, a mostra conta também com fotografias de Allan Cunha e Daniela Cordeiro. No espaço expositivo, o público poderá conhecer a rota do graffiti na Vila Flávia num trabalho conjunto desenvolvido entre os alunos e professores da FAU e os coletivos, como um ponto de aproximação e reconhecimento da produção cultural desses territórios mediada pela reflexão universitária.

Arte urbana e conhecimento acadêmico vêm à tona no levantamento dos graffitis na Vila Flávia, na zona leste de São Paulo, juntamente com a edição de entrevistas e depoimentos com moradores e artistas feitos pelos alunos da USP, reafirmando o direito à memória e à história.

 

Programação paralela

Os artistas, escolhidos em parceria com o São Mateus em Movimento, tem uma presença reconhecida na cena cultural periférica, e se apresentarão uma vez por mês durante o período da exposição.

 

Quinta, 21 de setembro, às 16 horas

Negotinho Rima
Na abertura da exposição, o fundador do coletivo São Mateus em Movimento falará sobre o lugar de São Mateus na cultura de São Paulo. Local de nascimento da Tia CIda, importante sambista do século 20, além dos ícones grupos de rap De Menos Crime e Consciência Humana, o território abriga ainda hoje muitos músicos ligados a essa expressão da cultura brasileira, quiçá uma das mais significativas.

Quem é Negotinho
Nascido e criado na Vila Flávia, na zona leste da capital paulista, iniciou seus trabalhos sócio-culturais em 1998. É MC, articulador cultural, líder comunitário e professor de capoeira, formado pelo mestre Lampião.

 

Quinta, 26 de outubro, às 16 horas

Sarau Comungar

O sarau é uma das atividades culturais mais importantes nas periferias da cidade nas últimas décadas. Remontando às tertúlias literárias do século XIX, os saraus se mantiveram na cena cultural brasileira no início do século XX nos círculos letrados. Apropriado nas periferias como uma forma de sobrevivência, buscando atrair jovens para suas rodas, fazendo-os se interessarem pela literatura – não apenas como leitores ou ouvintes – mas como produtores, os saraus se firmaram por toda a periferia de São Paulo, produzindo nomes como Sérgio Vaz – considerado hoje um dos artistas fundamentais da literatura contemporânea.

O que é

Os jovens da comunidade Vila Flávia iniciaram o Sarau Comungar em agosto de 2013. Além das manifestações artísticas, realizadas espontaneamente pelos presentes, o Sarau Comungar realiza rodas de conversa mediadas sobre temas pertinentes à realidade da população periférica e à sociedade de modo geral, com o fim de informar, instigar a reflexão e o conhecimento crítico.

 

Quinta, 16 de novembro, às 16 horas

Mr. Grande-E e Odisseia das Flores

Apresentações de Rap, linguagem musical consagrada pelos Racionais MC’s, e seguida por várias gerações de artistas periféricos, que hoje ocupam a cena musical como uma das expressões mais importantes da MPB contemporânea, como Criolo e Emicida. O evento contribui para a discussão das questões de gênero, principalmente no movimento hip-hop.

Quem são

Alessandro, mais conhecido como Mr. Grand-E, multi-artista de São Mateus, que além de rapper e compositor, é designer e ativista. Integrou os grupos U-Negro Alvos da Lei, além das participações com Dina DeeRZOEdi Rock Racionais McsDe Menos Crime entre outros.

Odisseia das Flores é um grupo de Rap, formado apenas por mulheres, que foca seu trabalho autoral na luta pela valorização da mulher na sociedade. Formado em 2008 por Jô Maloupas, Afrolet, e Chai Odisseiana, abarca como tema principal a resistência feminina em suas composições, evidenciando a originalidade e diversidade, a partir das realidades em que vivem.

 

Sexta, 15 de dezembro, às 16 horas

Gritos Ocultos e Indiara feat Indaíz

O grupo Gritos Ocultos é ligado à musicalidade do reggae, e Indiara é a multiartista que, com suas músicas, luta pela liberdade das mulheres em situação de vulnerabilidade, com o apoio da banda Indaíz.

Quem são

Formado em 1998 por amigos, Gritos Ocultos criou músicas com um estilo inovador e a mistura das influências de seus integrantes com bases de rock, rap e reggae. Entre suas influências estão Bob Marley, Peter Tosh, Black Uhuru, Sabotagem, Tim Maia, James Brown, Chico Science e Nação ZumbiRacionaisO RappaRed Hot Chilli PepersPlanet Hemp, entre outros. A banda já tocou com Mato SecoNazireu RupestreMonkey JhayamFilosofia OriginalDe Menos CrimeOdisseia das FloresJah I RasSubviventes.

Nascida e criada na periferia de São Paulo, a multiartista Indiara é cantora, compositora, dançarina e psicóloga, e transita entre diversos gêneros, como reggae, rap, rock, funk, blues, mpb e jongo.. Traz em suas músicas o compromisso de passar a mensagem sobre suas vivências periféricas e o conhecimento psicológico, a fim de instigar o ouvinte a reflexões sobre temas pouco explorados como a violência psicológica e o abuso sexual. Atualmente, trabalha na gravação do seu primeiro EP Kbra Solta que trata de temas delicados, como a luta pela liberdade das mulheres em situação de vulnerabilidade. Conta com o apoio da banda Indaíz, importante na cena do reggae desde 2002.

 

Oficinas e cursos gratuitos

História dos territórios periféricos da cidade de São Paulo, com Adriano Sousa
De 15 de setembro a 27 de outubro

Oficina de fotografia com celular, com Daniela Cordeiro
De 26 de setembro a 10 de outubro

Fotografia, documento e arte, com Allan Cunha
De 4 a 25 de outubro

Identidade visual artística, com Randal Bone
De 7 de novembro a 12 de dezembro

 

Serviço

Exposição São Mateus move o centro, organizada pelos coletivos São Mateus em movimento e CPDOC Guaianás


Abertura 21 de setembro – a partir das 16 horas 

Onde |  Centro MariAntonia da USP – Edifício Joaquim Nabuco

Rua Maria Antônia, 258 – Vila Buarque – São Paulo, SP (próximo às estações Higienópolis e Santa Cecília do metrô)

Quando De 21 de setembro de 2023 a 28 de janeiro de 2024

Visitação | terça a domingo e feriados, das 10 às 18 horas

Classificação | Livre

Quanto | Grátis

Informações | (11) 3123-5202

Arte urbana é a protagonista de exposição no MariAntonia
    • Terça, Quarta, Quinta, Sexta, Sábado e Domingo
    • Das 10:00 às 18:00
Não há Comentários :(
Atenção!!! Não escreva dúvidas ou perguntas. Utilize o canal específico Fale Conosco.