• A+
  • A-
Fechar
Exposições na Biblioteca Brasiliana contam a história da instituição

Exposições na Biblioteca Brasiliana contam a história da instituição

Comunicação - PRCEU - 14/06/2023

As mostras fazem parte das atividades de comemoração de uma década de sua inauguração

Eliete Viana
14/6/2023 – 20h07 – Atualizado em 30/6/2023 11h51

Estão em cartaz na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP duas exposições: “Uma biblioteca viva – BBM 10 anos” e “Rubens Borba de Moraes: um
protagonista invisível”.

A exposição “Uma biblioteca viva – BBM 10 anos” tem como objetivo mostrar um pouco do acervo que compõe a Brasiliana. Ao longo de nove expositores e duas vitrines laterais estão exibidas diversas obras de grande relevância e que são consideradas essenciais para conhecer melhor a coleção, que tem cerca de 32 mil títulos e 60 mil exemplares.

Uma vitrine exibe livros da coleção de José Mindlin e uma outra de Rubens Borba de Morais, os dois principais bibliófilos que doaram suas coleções para a BBM.
Os nove expositores têm livros relacionados aos três eixos principais do acervo BBM: livros de literatura, livros como objeto de arte e livros de viajantes. A sessão de literatura está dividida em: livros infantis, modernismo e a coleção de primeiras edições de Machado de Assis.

Confira a entrevista do apresentador Elcio Silva com o diretor da Biblioteca Brasiliana da USP, professor Alexandre Saes, no programa “Cultura na USP” veiculado pela Rádio USP em 29/06/2023

 

Alguns livros já foram expostos em outras ocasiões, mas agora serão apresentados de outra forma. É o caso das primeiras edições de Machado de Assis sobre as quais foram descobertos novos elementos no acervo da BBM.

No fim, o visitante é convidado a fazer uma reflexão sobre o futuro da biblioteca e como ela deve ser pensada e composta através de uma sessão dos livros que não estão presentes no acervo da BBM, como os de Carolina de Jesus.

Essa mostra ficará em cartaz até 15 de setembro, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 18h30.

Rubens Borba de Moraes

A exposição “Rubens Borba de Moraes: um protagonista invisível”  está em exibição na BBM desde o dia 16 de maio. Essa mostra busca apresentar as várias facetas sobre a atuação profissional e a vida de Rubens Borba de Moraes: modernista, bibliotecário, bibliófilo e bibliográfico, que é personagem importante para a formação da BBM, pois a coleção de obras raras foi formada pelo seu acervo também.

Rubens Borba

As sete seções da mostra foram montadas como se fossem estantes da biblioteca dele, para o público sentir que está visitando sua biblioteca pessoal. Ao percorrer as estantes, o público poderá ver diferentes momentos de sua vida e observar os entrecruzamentos de sua trajetória com momentos cruciais para o desenvolvimento cultural no Brasil, a partir da década de 1920, cujo um dos marcos é a Semana de Arte Moderna de 22.

Ele foi um dos precursores a pensar a biblioteca como instituição cultural a serviço da formação de uma nação brasileira. Dentre as bandeiras levantadas por ele a partir da década de 1930 podemos citar a profissionalização do bibliotecário, a criação de um sistema de bibliotecas, a criação da primeira Associação de Bibliotecários (APB). Além disso, ele levou as ideias modernistas de biblioteca para onde atuou como bibliotecário e professor, como, por exemplo, à Biblioteca Nacional (1943-1948), à Organização das Nações Unidas (1948-1958) e à Universidade de Brasília (1964).

Os responsáveis pela curadoria são Silvana Arduini e Nicholas Simão Betoni, respectivamente, doutora em Ciência da Informação e mestre em Museologia, ambos pela USP. A organização desta exposição é da Pró-Reitoria de Extensão Universitária e Cultura e da Coordenadoria Geral de Bibliotecas da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).

Essa mostra foi exibida pela primeira vez de 6 de março a 5 de abril deste ano, em um espaço cultural na capital paulista. Depois da BBM, a exposição será exibida de forma itinerante em alguns campi da Unesp, como o de Araraquara, cidade na qual Borba de Moraes nasceu.

A exposição poderá ser visitada pelo público até 29 de junho, de segunda a sexta-feira, das 9h às 20h.

10 anos

As comemorações da primeira década da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP começaram no dia 23 de março quando a BBM Publicações – o braço editorial da biblioteca – lançou dois livros sobre o Modernismo no Brasil: “Semana de vinte e dois: Olhares críticos”, organizado por Marcos Antonio de Moraes, e “Releituras do modernismo: O legado de 1922 na cultura brasileira”, com organização de Ivan Marques. Ambos são resultados do Projeto 3×22 da Biblioteca.

No mês de maio, nos dias 16, 17 e 18, a BBM realizou o Seminário “BBM 10 anos: uma biblioteca viva”. Neste evento, foram abordados diversos temas relacionados às atividades e história da Biblioteca, como bibliofilia e colecionismo, a conservação de um acervo bibliográfico; os desafios das bibliotecas digitais de obras raras; e o futuro das brasilianas.

 


Serviço

Exposição Uma biblioteca viva – BBM 10 anos

Quando | 15/06, às 18h até 15/09, das 8h30 às 18h30, de segunda a sexta-feira
Onde | Rua da Biblioteca, 21 – Sala Multiuso – Cidade Universitária, São Paulo
Quanto | Grátis

Exposição Rubens Borba de Moraes: um protagonista invisível

Quando | até 29/06, de segunda a sexta-feira, das 9h às 20h
Onde | Rua da Biblioteca, 21 – Sala BNDES, no subsolo da Livraria Edusp – Cidade Universitária – São Paulo
Quanto | Grátis

Exposições na Biblioteca Brasiliana contam a história da instituição
    Não há Comentários :(
    Atenção!!! Não escreva dúvidas ou perguntas. Utilize o canal específico Fale Conosco.