Jan Ferslev do Odin Teatret ministra oficina no Teatro da USP

O Teatro da USP realiza em São Paulo, de 1 a 5 de fevereiro de 2016, das 10h às 14h, a oficina A Presença do Ator/Performer. A oficina gratuita será ministrada por Jan Ferslev, do Odin Teatret, e as inscrições serão realizadas até 27/1/16, pelo e-mail tuspline@usp.br. Os interessados deverão enviar currículo (contendo nome completo, RG e CPF e telefone para contato) e carta de interesse. Serão selecionados 16 (dezesseis) participantes.

A oficina se concentrará na presença cênica do performer, tendo como tema o controle do corpo e da voz como pontos de partida para a criação de partituras físicas e vocais, base de todo o trabalho desenvolvido pelos atores do Odin Teatret.

Serão ensinados exercícios simples, partindo, por exemplo, da ação “dar um passo”: Que parte do corpo se move primeiro e em qual direção? Deve-se experimentar e sentir qual é o centro do equilíbrio e do peso, há que se decidir se está empurrando algo ou se está sendo puxado, imaginar certa resistência e mostrar isso com o corpo.

Assim, a simples ação de “dar um passo” é executada de uma forma determinada, com uma energia específica, contendo uma informação escolhida pelo performer.

Ao mesmo tempo, essa simples ação inclui várias decisões: que parte do pé toca o chão primeiro? Como respirar ao dar o passo (inspirar ou expirar)? Onde está o foco? O que fazer com os braços, as mãos, os dedos? Todas essas ações devem ser decisões do ator/músico, do performer. Ele DEVE decidir.

Os exercícios executados nessa oficina dão atenção às diferentes partes do corpo, a essas questões. É esse trabalho detalhado que vai criar a presença cênica.

Por meio da repetição e da fixação dos exercícios, o ator/performer cria partituras físicas que, uma vez incorporadas, eliminam a lacuna temporal existente entre a decisão de realizar uma ação e a ação em si. O corpo do ator/performer torna-se um corpo-mente e sua presença cênica é dilatada.

Todos os exercícios podem ter sua forma reduzida no espaço, o que chamamos de “redução/absorção”. As ações podem ser absorvidas até o ponto de se tornarem apenas impulsos. Podem ser executadas com uma energia suave ou forte, de maneira rápida ou devagar. A combinação de possibilidades para cada ação é infinita. Mas o ator/performer deve decidir a cada momento qual das possibilidades irá usar e não deixar nada ao acaso.

No trabalho vocal são usados os mesmos princípios. O treinamento vocal está baseado principalmente no uso dos ressonadores que abrem um grande leque de possibilidades. Caberá novamente ao ator/performer decidir de que forma usá-los na criação de ações vocais e, posteriormente, de partituras vocais fixas.

Sobre Jan Ferslev

Músico, compositor, ator e pedagogo, nascido em 1949, em Copenhague, Dinamarca. Sua formação inclui rock, jazz, latim e música clássica. Como guitarrista, na década de 60, participou de várias gravações e compôs a trilha sonora para espetáculos de diferentes linhas.

Trabalhou como ator em grupos de teatro alternativos e tradicionais antes de ingressar no Odin Teatret, em 1987. Também é membro da ISTA – International School of Theatre Anthropology. No Odin Teatret participou dos seguintes espetáculos: Talabot, Rum i kejserens palads, Pais e Filhos, Itsi Bitsi, Ode ao Progresso, Kaosmos, Mythos, Dentro do Esqueleto da Baleia, Sal, O Sonho de Andersen, Grandes Cidades sob a Lua, Don Giovanni all’Inferno, Ur-Hamlet.

Também atua nas demonstrações de trabalho conduzidas em conjunto com outros atores do Odin Teatret, a exemplo de Ventos Sussurrantes (todos os atores) e Cartas ao Vento (com Roberta Carreri).

Sobre Odin Teatret

Odin Teatret foi fundando em Oslo, Noruega, em 1964, a partir do encontro do diretor Eugenio Barba com um grupo de jovens atores. Em1965 o grupo se transfere para a Dinamarca, onde até hoje mantém sua sede, na cidade de Holstebro.

Sob direção de Eugenio Barba, o grupo é hoje uma das maiores referências no cenário cultural contemporâneo com seu Teatro Antropológico, com seguidores no mundo todo. Uma das proposições de Eugenio é a de que o ator seja capaz de elevar seu próprio texto, assim como construir sua própria dramaturgia corporal. Para isso, dedicam-se intensamente ao trabalho de preparação corporal e vocal, criando ao longo dos anos técnicas muito específicas e fundamentais na diferenciação do trabalho do grupo, bem como de cada um dos seus atores. O trabalho corporal e vocal é motivo de estudos e atrai cada vez mais interessados em oficinas e workshops que o Odin oferece durante suas turnês.

O trabalho do Odin foi sempre muito disciplinado e intenso. Desde o inicio, organizam seminários anuais, que reúnem diferentes propostas teatrais. Não apenas com artistas europeus, mas também da Ásia e América Latina. Esses encontros produziram um importante intercâmbio cultural. Jerzy Grotowski participou várias vezes desses encontros, junto a, dentre outros, Dario Fo, Julian Beck, Judith Malina, Chaikin, Ellen Stewart, Richard Schechner, Decroux, Lecoq, Santiago Garcia e seu legendário grupo Candelária, Miguel Rubio com o Yuyachkani, Patricia Ariza e outros grandes mestres das principais tradições artísticas e culturais do mundo.

Serviço:

Oficina A Presença do Ator/Performer
Quando: De 01 a 05 de fevereiro, das 10 às 14h
Onde: Teatro da USP – Sala Experimental Plínio Marcos
Rua Maria Antônia, 294 ∙ Consolação ∙ 11 3123.5233
Público alvo: atores, músicos, diretores e estudiosos de teatro que se interessem em refinar sua técnica e ampliar suas possibilidades de expressão vocal e cênica.
Inscrições até 27 de janeiro de 2016, somente por e-mail.
16 vagas

Por Teatro da Universidade de São Paulo

Jan Ferslev do Odin Teatret ministra oficina no Teatro da USP