• A+
  • A-
Fechar
Obras de Eliane Robert de Moraes e Paloma Vidal inauguram Coleção Ensaio Aberto

Obras de Eliane Robert de Moraes e Paloma Vidal inauguram Coleção Ensaio Aberto

Comunicação - PRCEU - 06/10/2023

No dia 24 de outubro, a partir das 18 horas, o Centro MariAntonia da USP promove, em conjunto com a editora Tinta-da-China Brasil, o lançamento dos livros A parte maldita brasileira: Literatura, excesso, erotismo, de Eliane Robert Moraes, e Não escrever [com Roland Barthes], de Paloma Vidal, ambos da Coleção Ensaio Aberto, com entrada gratuita.

Com os olhos voltados para a literatura brasileira de fins do século XIX até os nossos dias, Eliane Robert Moraes reúne neste volume os ensaios que marcam sua notável trajetória de crítica literária. Machado de Assis, Hilda Hilst, Nelson Rodrigues, Roberto Piva e Reinaldo Moraes são alguns dos nomes aos quais a ensaísta dedica sua reflexão, inspirada pelas concepções de Georges Bataille em torno da falta e dos excessos.

Desse percurso tão original quanto rigoroso resulta uma contribuição definitiva para o reconhecimento do lugar do erotismo no cânone literário brasileiro.

Já Paloma Vidal parte do esboço de Roland Barthes da obra Vita Nova, numa investigação entre criação e reflexão no livro Não escrever [com Roland Barthes].

A poesia contracena com a teoria para dar corpo a este livro, que reúne textos produzidos nos anos 2010, seja em formato de diário, seja em formato de palestra-performance. Tais palestras foram apresentadas em diferentes universidades e outras instituições, e seu registro em livro guarda marcas dessa experiência performática.

Estes livros dão início à Coleção Ensaio Aberto, sob coordenação de Tatiana Salem Levy, da Universidade Nova de Lisboa, e Pedro Duarte (PUC-Rio), e publicados pela Tinta-da-China Brasil, em São Paulo.

 

Quem é Eliane Robert Moraes

Professora de Literatura Brasileira da Universidade de São Paulo e pesquisadora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Assina diversos ensaios sobre o imaginário erótico nas artes e na literatura e a tradução da História do olho, de Georges Bataille. Publicou pela editora Iluminuras os títulos Sade — A felicidade libertina (2015), O corpo impossível (2016), Lições de Sade (2011) e Perversos, amantes e outros trágicos (2013). Organizou a Antologia da poesia erótica brasileira (Ateliê, 2015), editada em Portugal (Tinta‑da‑china, 2017), a Seleta erótica de Mário de Andrade (Ubu, 2022) e, pela Cepe, duas coletâneas de contos eróticos brasileiros: O corpo descoberto (2018) e O corpo desvelado (2022).

Quem é Paloma Vidal
Escritora, tradutora, ensina Teoria Literária na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Dedica-se à ficção e à crítica, tendo publicado romances, peças, livros de contos, de ensaios e de poesia, entre os quais: Algum lugar (7Letras, 2009), Mar azul (Rocco, 2012), Três peças (Dobra, 2014), Dupla exposição (Rocco, 2016), Wyoming e Menini (7Letras, 2018), Estar entre: Ensaios de literaturas em trânsito (Papéis Selvagens, 2019), Pré‑história (7Letras, 2020) e La banda oriental (Tenemos las Máquinas, 2021). Traduziu, entre outras autoras e autores latino-americanos, Clarice Lispector, Adolfo Bioy Casares, Lina Meruane, Sylvia Molloy, Margo Glantz, Tamara Kamenszain e Silviano Santiago.

 

 

Coleção Ensaio Aberto
Na tradição ocidental, deu-se por certa a separação entre Filosofia e Literatura, tendo-se como consequência um entendimento histórico que cindia, de um lado, a mente, a reflexão ou a razão, e, de outro lado, o corpo, a criação ou a emoção. Perdia-se, assim, a possibilidade de um conhecimento que, em vez de separar, aproximasse Filosofia e Literatura, perguntando-se: mas escritores não filosofam, e filósofos não escrevem?

Os Ensaios Abertos desta coleção surgiram da vontade de explorar como, apesar da conhecida crítica metafísica que a Filosofia dirigiu à Literatura, elas não cessaram de se aproximar, em especial desde a Modernidade. Nessa exploração, a forma do ensaio desponta por sua capacidade de atrelar diferentes áreas, como a política e a ética, em um exercício de escrita que faz a filosofia e a literatura encontrarem-se.

Serviço

Lançamento dos livros A parte maldita brasileira: Literatura, excesso, erotismo, de Eliane Robert Moraes, e Não escrever [com Roland Barthes], de Paloma Vidal, ambos da Coleção Ensaio Aberto.

Onde  |  Centro MariAntonia da USP

Rua Maria Antônia, 258, Vila Buarque – São Paulo – próximo a estação Higienópolis do Metrô.

Quando | Terça-feira, 24 de outubro às 18 horas

Quanto | Gratuito

Obras de Eliane Robert de Moraes e Paloma Vidal inauguram Coleção Ensaio Aberto
Não há Comentários :(
Atenção!!! Não escreva dúvidas ou perguntas. Utilize o canal específico Fale Conosco.