Menu

Desigualdade de Gênero

4 em cada 10 paulistanos são contra beijos e abraços entre LGBTs em espaços públicos
  Quatro em cada 10 paulistanos são contrários à demonstração de afeto, como beijos e abraços, entre homossexuais em locais públicos. Uma pesquisa [...]
Adotado por casal gay, menino de 11 anos escreve redação sobre ser ‘a criança mais feliz do mundo’
Uma bela história de adoção está ganhando repercussão nas redes sociais nesta semana. A professora de português de uma escola de Ferraz de Vasconcelos, [...]
Pela primeira vez, Roma registra bebê de casal homossexual
O bebê de um casal homossexual foi registrado no último sábado, 28, em um cartório de Roma, na Itália, e se tornou o primeiro caso da história na [...]
Banheiro Unissex ou Neutro
O banheiro unissex ou neutro é um sanitário/toalete de uso comum, não direcionado a um público específico, sua indicação é realizada com uma placa [...]

Já pensou que tudo seria mais fácil se fosse visto com os olhos de uma criança? Nos importaríamos menos com o que realmente não é relevante e mais com o que é necessário. Poderíamos nos sentir menos preocupados, menos exaustos e mais abertos a mudanças e em aceitar diferentes pensamentos, culturas e indivíduos. Você já pensou em mudar seu olhar?

Vamos ver as diferenças com os olhos de uma criança

O Brasil convive com a violência da transfobia, embora debate pela inclusão tenha avançadoo tema foi debatido no evento “Gênero e Diversidade”, que faz parte do ciclo FAAP – EL PAÍS.

https://www.facebook.com/elpaisbrasil/videos/1608612555865355/?t=1416

“Você entende o que é matar uma pessoa só porque ela é diferente?”
A ciência que discrimina as mulheres
A ciência tem maltratado as mulheres. Jocelyn Bell descobriu os pulsares, mas quem levou o Nobel de Física foi o orientador de sua tese. A atual presidenta da União Astronômica recebeu a ordem para trabalhar no escritório do marido. [LEIA MAIS…] http://brasil.elpais.com/brasil/2017/03/08/ciencia/1488931887_021083.html[...]
Como é ser mulher no maior país latino-americano?
O país deu a homens e mulheres o mesmo nível de acesso à educação, melhorou a saúde materna e reduziu os índices de gravidez na adolescência, mas paradoxalmente nem todas as brasileiras [LEIA MAIS…] http://brasil.elpais.com/brasil/2017/03/08/politica/1488996274_013987.html  [...]